Site do Cachorro
Site do Cachorro
Seu perfil | Cadastro | Membros | Procura | Ajuda
Salvar senha
Usuário:
Senha:
Esqueceu sua Senha?

 Todos os Fóruns
 Discussões sobre:
 Saude
 patas traseiras
 Novo tópico  Responder o tópico
 Imprimir
Autor Tópico anterior Tópico Próximo tópico  

Dani Honorato

16 Mensagens

Postada em - 19/01/2009 :  09:58:11  Mostrar perfil  Incluir resposta com citação  Incluir resposta

olá, gente eu tenho uma labradora que tem 4 anos, essa semana ela apresentou uma fraqueza nas patas traseiras, liguei pro vet, e ele receitou cortisona, e vou fazer os exames de sangue essa semana....estamos achando que pode ser displasia....mas ela não tem dor...está comendo normal....suas fezes estão sequinda...não apresenta febre....ela brica...e quer correr, mas quando corre ela escorrega com as patas de tras, perdendo o equilibrio....


alguem já presenciou esse tipo de problema? será displasia mesmo?


obrigada


Dani


Dani Honorato

Lygia Servilha Ventura

432 Mensagens

Postada em - 20/01/2009 :  07:47:59  Mostrar perfil  Incluir mensagem com citação  Incluir mensagem
Olha, pelo que já ouvi dizer, a displasia ocorre geralmente enquanto o cão é filhote e está se tornando adulto, na fase de cerscimento... Seria bom um exame pra ter certeza de não ser reumatismo, ou algum outro tipo de desgaste osseo (principalmente se ele for obeso... labrador tem uma certa tendencia, né?). O melhor seria o veterinario vê-lo pessoalmente....
Lygia.
Inicio da página

Carolina Souza

84 Mensagens

Postada em - 20/01/2009 :  13:46:58  Mostrar perfil  Incluir mensagem com citação  Incluir mensagem

Sobre a displasia coxofemoral:


- É uma doença de cunho genético, mas de múltiplos gens, ou seja, pais passam para os filhotes, mas pais que não tenham a doença podem ter filhotes doentes mesmo assim. As chances de um filhote com pais doentes ter displasia é de quase 100%, caindo para cerca de metade disso se apenas um tiver displasia e reduzindo bastante, mas não chegando a zero se pais, avós e bisavós forem "limpos". Por isso, NENHUM cão displásico poderia se reproduzir...


- A doença pode OU NÃO apresentar sintomas. Ou seja... tem cão displásico severo que nunca manca e tem cão com displasia leve que começa a apresentar sintomas com 4 ou 5 meses. O único jeito de ter certeza que tem ou não tem é com o raio X feito por um vet especialista, de preferência credenciado pelo CBRV (Colégio Brasileiro de Radiologia Veterinária). O cão será sedado para ficar na posição correta (para não dar um resultado falso) e eles tiram a chapa. Não tem nada a ver essa conversinha de vendedor de filhote que fala que os pais "não tem nada porque nunca mancaram"... Só o raio x afirma isso com certeza.


- Os resultados oficiais da chapa só podem ser obtidos depois dos 24 meses. Antes disso o cão está em formação e os resultados podem mudar. Por isso, só se faz raio x em filhotes se o dono suspeitar da doença, e o resultado é só a situação atual da articulação, não fala se o cão tem/ terá a doença ou não.


- No caso do raio x dos adultos, o resultado sai em 5 graus:


a) Não displásico ou HD - ou A => sem sinais de displasia, permitido o acasalamento
b) Quase normal ou HD +/- ou B => articulações quase perfeitas, discretos desvios, permitido o acasalamento
c) Displasia leve ou HD + ou C => um desvio um pouco maior das articulações, já é considerado displásico, pode acasalar, mas se for fazê-lo é recomendado que o parceiro seja A
d) Displasia moderada ou HD ++ ou D => Displásico e NÃO permitido o acasalamento
e) Displasia severa ou HD +++ ou E => Displásico e NÃO permitido o acasalamento


Todos os graus podem ter cães que tem sintomas ou não.


- Os sintomas mais comuns são mancar, puxar a pata, dificuldade ou demora para sentar ou deitar, ossos que estalam. São todos sinais de dor. Apesar de parecer que eles não sentem dor, cães são muito resistentes e não costumam demonstrar de forma "humana".


- Apesar de ser uma doença genética, alguns fatores pioram a condição ou fazem com que os sintomas piorem como: obesidade, piso liso, esforço muito grande quando filhote, ração de má qualidade, falta ou excesso de cálcio e excesso de proteína na infância (crescimento extremamente acelerado).


- Não há cura, mas tem tratamentos. Os tratamentos podem usar remédios humanos e/ou caninos, ou cirurgia. Normalmente são tentados os tratamentos com remédios antes de uma opção mais radical. Depois dos primeiros tratamentos normalmente tb são feitos exercícios para fortalecer a musculatura e "segurar" os ossos.


- Seria interessante que todos os proprietários de cães grandes e/ou pesados fizessem o exame mesmo sem pensar em acasalar. Se o cão tiver a doença é legal começar o tratamento antes de aparecerem os sintomas.


 


Espero que não seja displasia, mas... Em todo o caso estou a disposição para mais informações...


Abrs

Inicio da página
  Tópico anterior Tópico Próximo tópico  
 Novo tópico  Responder o tópico
 Imprimir
Ir para:
Site do Cachorro © 2000-2002 Snitz Communications Topo da página
Snitz Forums 2000